sábado, 18 de agosto de 2012

O Morro dos Ventos Uivantes – Emily Brontë

Esse romance nos leva ao extremo de vários sentimentos ao descrever: Heathcliff o maior cretino da história da literatura (pelo menos pra mim); Nelly a governanta/baba mais condescendente até hoje; Catherine Earnshaw a mulher com o dedo mais podre e o pé mais frio dos romances clássicos, entre outros. A narrativa é cansativa e por vezes confusa, é difícil manter a atenção, e mais difícil ainda concluir a leitura (em diversas vezes fui tentada a jogar o livro pela janela do ônibus, só não o fiz por que é emprestado).
Se o objetivo é ler um romance transcendente, muita coisa se perde com a diferença de épocas (o que chocava há 100 anos, hoje não faz mais nem cócegas em nossa consciência), e talvez com a diferença de sensibilidade (sim, eu sou insensível, e daí?). Mas mesmo assim é a oportunidade de conhecer uma época da sociedade que hoje não mais existe e de conhecer personagens que décadas atrás eram ícones de sua cultura.