domingo, 8 de dezembro de 2013

O Começo de Tudo – Vários Autores (Wild Cards - Livro 1)

Primeiramente venho aqui parabenizar à tática de marketing usada pela LeYa  na divulgação do livro, afinal, após o sucesso de "Crônicas de Gelo e Fogo", o nome de Martin em uma capa chama a atenção de um bom número de leitores. Ao se ler a sinopse de Wild Cards então, o seu desejo de compra-lo é imediato, imagine só, um enredo em que se conta a história de um mundo em que Nova York, logo após o fim da Segunda Grande Guerra foi contaminada com um vírus alienígena, sendo que o mesmo seleciona os seres humanos, alguns são afetados e se tornam seres deformados e bizarros, conhecidos como Jokers ou Coringas, outros ganham habilidades especiais, algo como super-heróis, os Ases e outros não são afetados pelo vírus. Agora junte tal enredo com o nome de Martin na capa em letras imensas, venda certa! Só que amigos, não se enganem, o livro foi editado pelo Martin, quando na capa consta "escrito" é apenas pelo fato de que o livro contém um, sim, UM capítulo escrito pelo bom velhinho. Pegadinha do malandro da LeYa!
De forma simplista e superficial de falar, o livro é composto de basicamente contos, onde cada capítulo vemos uma história diferente, tais histórias nascem e morrem nos próprios capítulos, com poucas ressalvas. A similaridade é de que todas elas contam com o mesmo pano de fundo. Na teoria, a junção de vários bons autores para a composição de uma história, pode parecer boa, mas na prática não foi o que aconteceu.
Formas diferentes de escrita e narrativas dificultam a fluidez da leitura do livro, além disso, existem capítulos excelentes, como o do próprio Martin, e outros que a vontade é de abandonar a leitura, como eu mesmo fiz duas vezes antes de terminar o livro. No resumo, a saga Wild Cards é composta de 22 livros, o enredo já deu a entender que tem muito a evoluir. O produto da leitura foi apenas uma decepção e a expectativa de que a história melhore nos volumes seguintes. O segundo volume, "Ases nas Alturas" já está a venda e está longe da minha lista de prioridades. Parabenizo a LeYa por sua estratégia, e aplaudo a mim mesmo com as minhas orelhas de jumento, por ter caído nessa jogada de marketing.