domingo, 31 de agosto de 2014

Dom Casmurro – Machado de Assis


“E com uma letra bem pequena, lá estava escrito no seu epitáfio: Tentou ser, não conseguiu; tentou ter, não possuiu; tentou continuar, não prosseguiu; e nessa vida de expectativas frustradas tentou até amar… Pois bem, não conseguiu, e aqui está.”

Dom Casmurro, escrito por Machado de Assis, sem sombra de dúvidas foi um dos melhores livros que li na vida e contradiz toda a ideia de que os livros clássicos são chatos e cansativos.

Nele somos apresentados a Bentinho, personagem central e narrador em 1ª pessoa que conta sua história dos tempos da sua mocidade até o presente momento onde ele está escrevendo-a. Da maneira como ele quer, vamos conhecendo os outros personagens, sempre com características peculiares que talvez somente ele enxergava em tal pessoa. Capitu, sua mãe, Escobar, todos que fizeram parte de sua vida e influenciaram sua personalidade.

É impossível ignorar a explosão de sentimentos que Bentinho tem no 1º beijo com Capitu ou todo o sofrimento quando tem que ir para o Seminário e se afastar dela, o que no entanto cria a oportunidade dele conhecer Escobar e assim ter uma amizade muito especial.

É um livro praticamente sem sinopse porque não é uma história comum, com começo, meio e fim, já que a vida é regrada pelo acaso e em seus 54 anos vividos isso não foi diferente.

Em alguns capítulos Bentinho fala diretamente com você, o que faz parecer que você está na história e que pode ajudá-lo em suas dúvidas e sentimentos.

Vale lembrar que um livro publicado em 1900 não é assim tão atual, algumas palavras ou termos podem ser desconhecidos, mas nada que um dicionário ou a internet não resolva num instante.

Aproveite!