quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Prelúdio de Sangue – Jean Plaidy (A Saga dos Plantagenetas – Vol. I)


Jean Plaidy é mais um pseudônimo de Eleanor Alice Burford Hibbert, essa simpática dama que já partiu desta para uma outra – ela faleceu em 1993 – que soube aliar uma  pesquisa histórica e tanto, fofocas da corte, diálogos inteligentes e  personagens poderosos, em uma saga que conta nada menos do que a história da dinastia Plantageneta, simplesmente uma família que governou a Inglaterra por vejamos... quase 250 anos.

Diferente do que qualquer pessoa poderia pensar, Prelúdio de Sangue, que é o primeiro livro desta incrível saga, começa contando a estória da  bela Leonor da Aquitânia, e como ela se casou com Luís  VII, o jovem Rei da  França, a personalidade forte de Leonor foi decisiva na primeira fase do livro, onde ela praticamente rouba todo o destaque que se esperaria que Luís VII teria na trama, e que acaba causando a sua separação com o mesmo, não sem antes arrasta-lo para as Cruzadas, a uma guerra para reconquistar um condado governado por seu  tio – por parte de pai – e a alguns casos extraconjugais – Plaidy descreveu alguns romances que Leonor supostamente teve, eu não sei se existe alguma confirmação  histórica dessas traições.

Logo após a separação de Luís e Leonor, ela se torna Eleanor, Rainha da Inglaterra ao se casar com Henrique Plantageneta – 11 anos mais novo, também conhecido como Henrique II da Inglaterra – por quem ela nutria amor – ou paixão – ainda casada com Luís. No casamento com Henrique, Eleanor ainda foi muito importante, sendo uma boa “conselheira” para Henrique durante o inicio de seu governo, e logo antes, porém após diversas traições de Henrique Eleanor se retira para a Aquitânia com seus filhos – entre eles os ilustres, Ricardo Coração de Leão, e João Sem Terra, posteriormente Reis da Inglaterra. Na segunda fase do livro, também ocorre um famoso episódio, o assassinato de Thomas Becket que foi chanceler de Henrique e posteriormente arcebispo da Canterbury, por ordem do próprio Henrique – não existe uma confirmação propriamente dita de que Henrique deu uma ordem direta – fora este episódio existe muitos outros ligados a vida de Henrique, como a morte de seu pai, como ele conheceu Leonor, o caso que ele teve durante o seu casamento com ela e como ela descobriu o caso, etc.

Fora esses detalhes históricos, que eu posso ter errado – porque eu sou confusa, não me julguem, estudem história – o livro é divertidíssimo, os personagens são na maioria fortes e extremamente inteligentes, a estória é muito bem contada, e os jogos da corte, e políticos são fascinantes.

Se o seu desejo for ler um livro com uma “pegada” histórica e mesmo assim se divertir muito, Prelúdio de Sangue é o livro certo!