terça-feira, 26 de março de 2013

A Guerra dos Tronos - George R. R. Martin (As Crônicas de Gelo e Fogo Vol. I)


O primeiro volume da saga que ficou conhecida principalmente por causa da série – que leva o nome do primeiro livro – e que estreará no dia 31 de março a sua 3° temporada – se nenhuma alma hacker caridosa der um jeito de jogar os episódios na net antes da data. A Guerra dos Tronos é marcada principalmente por um emaranhado de conspirações e traições, alias, todos os livros são assim, mas o primeiro realmente te mostra que "Quando se joga o jogo dos tronos, você vence ou você morre. Não existe meio-termo"
A saga e o primeiro livro giram principalmente em volta dos Starks – “O Inverno Esta Chegando” –, família nortenha que outrora fora real – Os Reis do Norte – mas que agora são leais à coroa de Robert Baratheon – “Robert da Casa Baratheon, o Primeiro do seu Nome, rei dos Ândalos e dos Roinares e dos Primeiros Homens, Senhor dos Sete Reinos e Protetor do Domínio”. Após a misteriosa morte de Jon Arryn – na época, Mão do Rei – os Starks  – principalmente,Lorde Eddard – se vem envolvidos na tentativa de proteger o Rei Robert de uma conspiração armada por sua esposa e rainha, Cersei da Casa Lannister, e quem sabe, por outras pessoas próximas a ele.
A família Stark é incrível, todos os 9 – Lorde Eddard, Lady Catelyn, Robb (e seu lobo, Vento Cinzento), Jon (o bastardo de Lorde Eddard, e seu lobo, Fantasma), Sansa (ou Sonsa, e sua loba Lady), Bran ( e seu lobo que quase no final deste volume ganha o nome de Verão), Arya (e sua loba, Nymeria), Rickon ( e seu lobo, Cão Felpudo), e o Tio Benjen (um irmão juramentado á Patrulha da Noite) – durante esse e os outros livros eles mostraram seus dentes e garras para proteger família e territórios. Apesar de os Starks estarem no centro das “tretas”, as famílias Lannister – “Lindos, loiros e Lannisters” ou “Ouçam-me Rugir” –, Targaryen – “Sangue e Fogo” –, e Baratheon  – “Nossa é a Fúria” –, juntas a outras famílias ganham destaque e contorno político durante o desenrolar da trama.
Martin com certeza consegue desenvolver um texto simples, inteligente e divertido, o livro e a saga são um convite aberto para o mais apaixonado e denso envolvimento na história: Escolha a sua “Casa” e entre no Jogo dos Tronos!!