quarta-feira, 20 de março de 2013

O que 1984 tem a ver com Admirável Mundo Novo??

Admirável Mundo Novo, escrito por Aldous Huxley em 1931, mostra uma sociedade futurista, completamente organizada, sob um sistema científico de castas, onde não há livre vontade e sim uma servidão, gerada pelo condicionamento, por meio de “rituais” e ideologias ministradas durante o sono.
Nesta sociedade "perfeita" uma jovem típica, pertencente a uma das castas altas, que, em uma crise existencial, conhece uma reserva de selvagens e particularmente um selvagem. Ela vive em uma sociedade formada por pessoas pré-programadas genética e psicologicamente para desempenhar um papel social e gostar deste, sem questionar ou desejar, nem mais nem menos, simplesmente ser o que lhe foi designado pelo Estado, mantenedor do Bem-estar geral. Já o selvagem se sente deslocado e insatisfeito com o mundo em que vive, em parte porque é fisicamente diferente dos integrantes da sua casta.
 O livro mostra algo parecido com 1984, de George Orwell, onde o Estado tem forte controle sobre a sociedade, e esta não questiona e os que ousam fazê-lo, são eliminados/abolidos. Em Admirável Mundo Novo, além do forte controle o sistema se utiliza também da “ciência” ao associar a genética às castas e às funções do indivíduo (predestinação) na sociedade, gerando assim um condicionamento e fortalecendo um sistema de condicionamento mental, causando certa harmonia na sociedade; sem espaço para questionamentos ou dúvidas, desejos e ansiedade são controlados por uso do “Soma”. A liberdade de escolha estava restrita a poucas matérias da vida.
Em ambos os livros são retratadas sociedades “perfeitas” e fortemente controladas por um governo, de certa forma extremamente opressor, acompanhando a história de um casal. Os autores são vistos por alguns como visionários e/ou “videntes”, uma vez que muitos identificam paralelos entre as sociedades do futuro descritas pelos autores e a sociedade em que vivemos.